Vereadores participam de reunião com representantes da Caixa

 

             A Câmara Municipal de Porto Feliz sediou na manhã de quinta-feira, 28/02, a reunião com representantes da Caixa Econômica Federal do Município. Estiveram presentes o Gerente- geral da Caixa Econômica Federal de Porto Feliz, Sr. Carlos Eduardo Cardoso de Mattos, e o Gerente de Relações da Caixa, Sr. Alexandre Cavalcanti, além do Presidente da Casa, Vereador Saulo Henrique Cândido e dos Vereadores Luís Antônio Gutierre Ruiz, José Antônio Queiroz da Rocha, José Luís Ribeiro de Almeida, Marcelo Pacheco da Cunha, Pascoal Laturrague e Rosemary de Jesus Pxanticosusque Dalmazo. A reunião foi solicitada pelo Vereador José Antônio Queiroz da Rocha na 3ª Sessão Ordinária do ano, em virtude de dúvidas existentes quanto às faixas salariais para o financiamento das casas do Programa Minha Casa, Minha Vida. Os representantes da referida Instituição Financeira explicaram aos presentes que os financiamentos constantes da referência 1 provém, exclusivamente, de parceria público- privada. A referida faixa – destinada às pessoas de baixa renda – visam atender à demanda social existente, e são as primeiras pessoas contempladas com o referido Programa  O Vereador José Antônio Queiroz da Rocha possuía dúvidas acerca de até qual valor de renda bruta familiar se enquadraria no Programa “Minha Casa, Minha Vida” na faixa 1.5 (um e meio) e propôs uma Emenda dando preferência às famílias de baixa renda que ganhem até 1,5 salário mínimo – em torno de 1500 reais – uma vez que é na referida faixa salarial que se encontra a maior demanda de casas populares no Município, segundo o CADUNICO.

 

capa caixa

Vereadores participam de reunião com representantes da Caixa.

 

             Os representantes esclareceram ao Edil que a faixa “1 e meio” do Programa Federal é destinada às pessoas cuja renda bruta familiar varie entre R$1.200,00 até R$2.600,00, com uma tarifa de juros girando em torno de 5%. Também esclareceram ao Edil que o referido Programa cria subsídios (auxílios) do governo nesta faixa do programa que variam conforme o fator de risco que passa sob o crivo para inclusão daquela família no programa federal “Minha Casa, Minha Vida”. Também esclareceu- se são parâmetros para análise de risco o tempo de labor do trabalhador, quantos residem na moradia, quantos trabalham, qual o bairro, idade da pessoa que deseja ser contemplada pelo programa, entre outros. Outro ponto esclarecido aos Edis foi que todo Projeto do Minha Casa Minha Vida possui uma percentagem de 50% para as famílias que possuem renda familiar inferior a 1 salário mínimo, o que as enquadraria, dentro do Programa, na faixa 1 e 1,5.

            Após as dúvidas dos Edis terem sido elucidadas, o Vereador José Antônio sinalizou a intenção de retirar as Emendas de sua autoria e, objetivando a aprovação do referido Projeto tal qual se encontra, o Presidente da Casa, Vereador Saulo, sugeriu ao Vereador José Antônio que, após a aprovação da referida matéria, apresente uma Emenda à mesma estabelecendo o limite de renda bruta de até 1 salário mínimo e meio, a fim de garantir o acesso à moradia aos portadores da referida renda.