Vereadores se reúnem com Secretária de Saúde

            Foi realizada na manhã de segunda-feira, 13/11, na Câmara Municipal de Porto Feliz, reunião entre os Vereadores e a Secretária Municipal de Saúde, Sra Lívia Maria Figueiredo. A reunião foi marcada em atendimento ao Requerimento nº 96/2017, de autoria do Vereador Pascoal Laturrague, que considerou de extrema importância a reunião com a Secretária a fim de que fossem prestados esclarecimentos à Casa Legislativa sobre o andamento dos trabalhos da Secretaria de Saúde do Município.

Durante a reunião, os Vereadores e Assessores presentes puderam esclarecer junto à Secretária e aos demais funcionários da Secretaria presentes dúvidas sobre diversos assuntos relacionados à saúde no Município, a exemplo do atendimento de consultas (como anda a demanda em algumas das especialidades, além da chamada “demanda reprimida”, que refere-se às consultas que estão agendadas mas que ainda não foram realizadas), além de informações referentes ao transporte dos pacientes para consultas e exames em outros Munícipios e informações referentes à disponibilidade dos medicamentos nas farmácias municipais. Outro ponto discutido na reunião foi a ausência de Neurologista que atende no Centro de Especialidades II e CEO Dra. Simone Habice P. Mattar. A Secretária de Saúde informou que o Neurologista “saiu por conta” de sua atividade na Instituição e que o caso já está sendo tratado pelo Departamento Jurídico da Casa. A Secretária ainda afirmou que a Santa Casa já está em negociação com uma nova Neurologista para assumir o referido posto.

Medicamentos na Farmácia Municipal    

A Secretária afirmou que “não existe falta de medicamentos” na Farmácia do Município. No entanto, segundo Lívia, alguns medicamentos não puderam ser comprados pois não houve inscritos para a licitação dos referidos medicamentos. A Secretária usou como exemplo o medicamento “Ritalina”, sobre o qual foram convocadas 3 licitações e nenhum fornecedor apareceu para concorrer à venda do referido medicamento.

geral 1

Vereadores e Assessores participam de reunião com Secretária Municipal de Saúde. 

 

Disponibilidade de médicos nos Postos de Saúde

Em relação à quantidade de médicos disponíveis nos Postos de Saúde, a Secretária afirmou que, atualmente, “falta apenas um médico no Posto de Saúde do Bairro Popular”, estando os demais Postos com o seu quadro preenchido. Ainda em relação à quantidade de médicos, Lívia informou que atualmente, existem 11 equipes de “Médico da família” disponíveis no Município. Em relação à contratação de agentes comunitários, a Secretaria informou que está aguardando o parecer do Tribunal de Contas para saber se há a possibilidade da contratação dos mesmos.

Em relação à grande demanda reprimida enfrentada pelo setor de oftalmologia, Lívia afirmou que o Aparelho Oftalmológico do Posto de Saúde do Pattuci já foi consertado e que, associado ao Mutirão de atendimento às crianças que será realizado entre os meses de novembro e janeiro- cuja previsão de atendimento é de 350 crianças-, acarretará na diminuição da demanda atual.

Outro ponto discutido foi a realização de mamografias. Segundo a Secretária, a aquisição do Mamógrafo encontra-se atualmente em processo licitatório e estima-se que em 2018, o atendimento comece a ser realizado. A previsão é de que sejam realizadas 1000 mamografias.

Consórcio Intermunicipal

Em relação ao Consórcio Intermunicipal, a Secretária afirmou que o processo se encontra atualmente “parado”, em virtude do Município de Porto Feliz não ter concordado com o valor do repasse solicitado ao Município para o referido Convênio.

Secretaria 1

A Secretária Municipal de Saúde, Lívia Maria Figueiredo, participa de reunião na Câmara Municipal.  

 

Transporte de pacientes        

Outro ponto discutido na reunião foi o transporte dos pacientes de Porto Feliz que necessitam realizar consultas e exames em outros Município. Uma reclamação frequente dos pacientes refere-se ao tempo gasto pelos mesmos em tais viagens, uma vez que, independente do horário da consulta/ exame, o paciente precisa se deslocar ao Município do procedimento no período da manhã junto aos demais pacientes, precisando aguardar o dia inteiro até que as consultas sejam finalizadas e o transporte retorne a Porto Feliz. Os Edis propuseram a disponibilização de mais veículos para o transporte de tais pacientes, além da sugestão das viagens serem feitas em “turnos” (por exemplo, uma no período matutino e a outra, no vespertino). Segundo a Secretária, o objetivo da Secretaria é adquirir frota própria de veículos para o transporte dos pacientes, o que baratearia o custo de tais viagens e com isso, aumentaria o número de viagens necessárias à realização dos procedimentos. A Secretaria informou também que a meta é fazer com que o transporte dos pacientes não dependa apenas de empresas terceirizadas- como ocorre atualmente- e que tal serviço seja usado apenas como “apoio”.

Equipamentos / Informatização do atendimento

Outra questão apontada pelos Edis referiu-se à Informatização do atendimento nos postos de Saúde da cidade. A Secretária informou que a Saúde recebeu a doação de 10 computadores, e que foi autorizada a solicitação do orçamento para aquisição de 74 computadores. Em relação à disponibilidade de materiais (luvas, tiras medidoras de glicose, entre outros), a Secretária afirmou que “não há falta de materiais para nenhuma unidade. ” Ainda segundo Lívia, o que ocorre é uma falha nas solicitações das unidades de saúde, que por vezes, “perdem o prazo” para tais solicitações.  A Supervisora de Controle e Suprimentos Michele do Carmo Almeida ainda afirmou que a atual gestão é a que “mais compra material” para o setor.

Casos de Meningite no Município

Após a divulgação nas redes sociais de casos de meningite no Município, que causaram polêmica e medo na população, a Secretária de Saúde fez questão de afirmar que “não há motivo para pânico”, uma vez que “não há casos da doença registrados na comunidade, apenas um ocorrido fora da cidade, e que o mesmo se encontra sob controle.”

Ao final da reunião, os Edis solicitaram à Secretaria de Saúde que sejam feitas fiscalizações mais intensas e, de preferência, semanais aos postos de saúde do Município, a fim de diminuir o número de problemas e reclamações frequentes sobre o setor na cidade.